Qual versão do windows 7 é a melhor para você?

30/06/09 at 10:41 (pessoal) (, )

Aqui temos um bom artigo explicando as diferenças entre as versões do windows 7 e qual pode se adequar mais ao que você precisa. A principal vantagem dessa nova divisão é que ela é incremental, e que só existem 3 versões de varejo: Home Premium, Professional e Ultimate. Cada passo acima, aumenta o número de features e por consequência, o preço.

http://www.maximumpc.com/article/%5Bprimary-term%5D/windows_7_feature_focus_which_windows_7_edition_right_you

Anúncios

Link permanente Deixe um comentário

Are you open-minded?

16/05/09 at 12:43 (pessoal) (, , , )

Muitas pessoas hoje me dia dizem que você precisa ter uma menta mais aberta quando você discorda delas, principalmente com relação a eventos super-naturais. O vídeo abaixo explica de maneira excelente o que é relamente ter uma mente aberta e como ser crítico à novas idéias é essencial.

Link permanente Deixe um comentário

Dead until Dark e o efeito Anime

14/05/09 at 22:12 (pessoal) (, , , , )

41vEK07m4jL._SX106_Terminei essa semana de ler Dead Until Dark, da Charlaine Harris. Esse é o primeiro livro da série Southern Vampire Mysteries, e tem uma idéia razoavelmente nova: os Japoneses inventaram um sangue artificial, que para todos os efeitos práticos, é igual ao sangue de verdade. Diante dessa descoberta, e posto que eles não precisariam mais caçar os humanos como única fonte de subsistência, os Vampiros resolvem vir a público, e procurar seu lugar na sociedade moderna. No centro desse cenário se encontram Sookie Stackhouse, garçonete que acha que sua habilidade telepática é uma maldição, pois nunca consegue se livrar do barulho dos pensamentos alheios, e Bill Compton, vampiro que acaba de chegar na pequena cidade de Bon Temps, aonde o livro se passa, e que procura se instaurar como membro da sociedade dos vivos. É um ótimo livro de vampiros, com um quê de policial e suspense.

Uma coisa curiosa, que eu só tinha visto acontecer antes em animes é que a série de TV, True Blood, que se baseia nos livros, criou uma personagem secundária, praticamente tão importante quanto a protagonista, que aparecem em todos os episódios da temporada, com sub-plots inteiramente criadas para a TV. No livro não existe a Tara, nem sua mãe alcóolica abusiva, nem nenhuma das suas histórias com os outros personagens. Outra coisa interessante são sub-plots inteiras criadas na série, talvez por acharem que os 12 capítulos do livro não seriam suficientes para os 20 episódios da primeira temporada.

Não estou dizendo que as alteração da série de TV sejam ruins, até pelo contrário, fiquei impressionado como as histórias e personagens criados para a TV interagem tão bem com o material original do livro. Talvez até pelas próprias mudanças que foram feitas, seja interessante acompanhar tanto o que sai para TV como os livros, que até aonde eu sei é uma série fechada, e ver que rumo cada um toma.

Link permanente Deixe um comentário

Boy meets Girl

10/05/09 at 17:59 (Uncategorized)

22367You know the story: boy meets girl, boy is struck by lightning and ends up in the girl’s body, same old, same old. Desculpa pelo inglês, mas essa é uma das coisas que simplesmente não tem a mesma graça de dizer em português. Boy Meets Girl é uma nova serie que está passando na tv brtiânica e conta o que acontece com Dany Reed é atingido por um relâmpago e se vê na pele da jornalista de moda Veronica Burton. A série tem um ritmo bem interessante, e faz bom uso de todas aquelas piadas sobre homens e mulheres. Uma ótima opção para esses tempos caóticos da tv americana, que ninguém sabe o que vai passar semana que vem. Eu realmente espero, embora em vão, que ela tem mais do que 6 episódios, como é costume das séries do lado de lá do oceano.

Link permanente Deixe um comentário

Bye, bye, liberdade, igualdade e etc

7/04/09 at 9:17 (pessoal) (, , , )

A assembléia francesa aprovou a lei que permitirá ao governo cortar o acesso à internet de pessoas depois de receber dois avisos sobre downloads ilegais. Toda aquela história de ônus da prova e “inocente até que se prove o contrário” aparentemente é muito burocrático e não mostra muitos resultados. Porque simplesmente não cortam o acesso à internet de *TODO* mundo? Assim, ninguém pirateia e a MAFIAA fica feliz.
Pelo menos ainda não passou pelo parlamento.

artigo original

Link permanente Deixe um comentário

Laptop Hunters

5/04/09 at 22:05 (pessoal) (, , , , )

Uma nova série chamada “Laptop Hunters” mostra pessoas procurando por um laptop para comprar. E a MS vai direto na garganta com pontos do tipo “computador de 17” por menos de US$1000″. São, simples, eficientes e falam o que tem que falar. Parece que a MS tá finalmente aprendendo a fazer propagandas…

Link permanente Deixe um comentário

Aquilo que o Miller quis chamar de “”Spirit””

5/04/09 at 9:29 (pessoal) (, , )

spiritE devo dizer que talvez duas aspas não sejam o suficiente para encarcerar idéia tão insana fora do mundo aonde as coisas fazem sentido. Eu e uns amigos meus fomos ontem assitir a essa coisa, achando que íamos ver algo da qualidade de Sin City, ou 300. Só que tem um detalhe: Sin City é dirigido pelo Robert Rodriguez e 300 é dirigido pelo Zack Snyder. Profissionais da área, sabem o que estão fazendo. Eu procurei no IMDB, e até aonde eu vi, essa é a primeira obra em que ele escreve e dirige um filme inteiro. Para se ter uma idéia do que é o filme, imagine Sin City, multiplicado por 1000, sem a história, com mais mulheres semi-nuas e monólogos intermináveis, assim, de fazer inveja a qualquer master-mind. Aparentemente o Sr. Miller tomou ácido, teve uma bad trip, vomitou duas vezes, e lá pelo terceiro vômito, achou que a viagem do ácido era interessante. Para vocês não acharem que isso são apenas devaneios de um pessoa mesquinha, veja aqui os “melhores” momentos do filme, levantados pelo meu amigo Caio:

  • Eva Mendes xerocando a própria bunda para deixar uma pista para o Spirit.
  • Samuel L. Jackson / Georges Lafond / Vera Verão, maquiado com sombra metalizada, brincando com um pé humano miniaturizado dotado de uma cabeça humana… ele (o pé) pula, brinca, canta…
  • Vera Verão tem um exército de Oompa Loompas gigantes!
  • Vera Verão, vestido de Afro Samurai, e Scarlet Johanson, de gueixa, discutindo seus planos diabólicos em um cenário do Japão Medieval absolutamente desvinculado da história, enquanto um Oompa Loompa gigante comete harakiri…
  • Spirit é amarrado em uma cadeira de dentista, durante um comício do Partido Nazista, enquanto uma dançarina de dança do ventre vai esquartejá-lo!

Link permanente Deixe um comentário

Quem quer ser um ganhador de Oscar?

29/03/09 at 10:05 (pessoal) (, )

200px-slumdog_millionaire_ver2Os estado-unidenses tem uma expressão “Oh, How The Great Have Fallen”, e isso explica sumariamente o que eu sinto por Slumdog Millionaire, traduzido aqui por Quem quer ser um milionário?. O filme começa muito bem, mostrando a condição sub-humana na qual grande parte das pessoas da Índia mora, em verdadeiros lixões, com ruas no meio. Mostra as camadas que são criadas, crianças que são cegadas para ganharem uma esmola melhor. Aí, lá pelo meio do filme, há uma mudança súbita: a denúncia é esquecida e os protagonistas. que eram crianças indianas, se transformam em galãs ocidentais com feições indianas, que tem um amor inseparável que está escrito nas estrelas, e nada poderá derrotá-los, etc, etc.

Aparentemente o diretor estava realmente confuso ao fazer, ou editar, o filme: os personagens ora falam inglês, ora indiano. O próprio apresentador do programa altera entre os idiomas sem pensar duas vezes. O gênero e ritmo do filme mudam: ora é uma filme-denúncia, ora ação, com flashbacks e jogos de câmera, ora romancezinho capricho com final feliz e dança no final.

Eu achei essa imagem no bom e velho Guia, e eu acho que traduz exatamente o que o filme passa, ele mostra a miséria e a pobreza, mas depois diz, “tudo bem, as pessoas são felizes no final, está escrito” e tudo corre bem, e você pode sair do cinema leve e descontraído.

Link permanente Deixe um comentário

Voltamos ao Nazismo

15/03/09 at 12:04 (pessoal) (, , , )

Voltou a velha desculpa de “não ser seguro para as crianças”. Segundo esse artigo enviado pelo Neil Gaiman via twitter, passou uma lei nos EUA dizendo que livros feitos antes de 1985 poder ser BANIDOS sob a desculpa da tinta usada nos livros poder ser tóxica para as crianças. Deixa eu escrever isso de novo, caso você tenha delirado da primeira vez: livros feitos antes de 1985 poder ser BANIDOS sob a desculpa da tinta usada nos livros poder ser tóxica para as crianças.
É realmente uma coisa tão estúpidamente estarrecedora que eu não consigo encontrar palavras, além de mind-fucking-boggling astounded. Apoplético. Sobre a tal possível ameaça, veja o que diz o artigo:

While lead poisoning from other sources, such as paint in old houses, remains a serious public health problem in some communities, no one seems to have been able to produce a single instance in which an American child has been made ill by the lead in old book illustrations—not surprisingly, since unlike poorly maintained wall paint, book pigments do not tend to flake off in large lead-laden chips for toddlers to put into their mouths.

ps. Se você ainda não segue ele pelo Twitter, eu recomendo completamente. Eu sou da tribo que lê, e você?

Link permanente Deixe um comentário

Neil Gaiman e a distribuição de livros na internet

9/03/09 at 22:20 (pessoal) (, , )

Hoje está sendo realmente um dia inspirado. Depois de ler sobre a NRK, eu finalmente vi um trecho de uma entrevista com Neil Gaiman na FLIP do ano passado. E ele responde ao que ele acha dos quadrinhos escritos por ele serem distribuídos de graça pela internet, e ele diz: seria melhor que os trabalhos fossem distribuídos de forma lícita, mas é melhor que sejam distribuídos da forma atual, do que de maneira alguma.

O Inimgo não é ler livros de graça, ou ler na Internet de graça. Na minha perspectiva, o Inimigo é quem não permite que as pessoas leiam. Quem lê, faz parte da minha tribo.

Link permanente Deixe um comentário

Next page »