At your side

28/09/05 at 1:55 (Uncategorized)

When the daylight’s gone and you’re on your own
And you need a friend just to be around
I will comfort you, I will take your hand
And I’ll pull you through, I will understand

And you know that

I’ll be at your side, there’s no need to worry
Together we’ll survive through the haste and hurry
I’ll be at your side
If you feel like you’re alone, and you’ve nowhere to turn
I’ll be at your side

If life’s standing still and your soul’s confused
And you cannot find what road to choose
If you make mistakes (make mistakes)
You can’t let me down (let me down)
I will still believe (still believe)
I will turn around

And you know that

I’ll be at your side, there’s no need to worry
Together we’ll survive through the haste and hurry
I’ll be at your side
If you feel like you’re alone, and you’ve nowhere to turn
I’ll be at your side

I’ll be at your side
I’ll be at your side
You know that

I’ll be at your side, there’s no need to worry
Together we’ll survive through the haste and hurry
I’ll be at your side
If you feel like you’re alone, you’ve got somewhere to go,
‘Cos I’m right there
I’ll be at your side, I’ll be right there for you
(Together we’ll survive) through the haste and hurry
I’ll be at your side
If you feel like you’re alone, you’ve got somewhere to go,
‘Cos I’m at your side

I’ll be right there for you
I’ll be right there for you, yeah
I’m right at your side

Lembra, linda, que eu estou aqui sempre que você precisar… :*

Anúncios

Link permanente 4 Comentários

Endereço novo

23/09/05 at 3:16 (Uncategorized)

O blog está em um novo lugar:
http://badnerds.org/sand

Link permanente 1 Comentário

Simple is better than complicated

19/09/05 at 21:13 (Uncategorized)

All design and engineering decisions will be taken with the following principle in mind:

Simple is better than complicated.

We will always try to eliminate choices that the user must make. Every bump on the user experience must be relentlessly sanded down. Our customers will say: “It’s the easiest thing in the world and It Just Works.” No jargon will remain in the user experience, anywhere.

Que bom seria se todos os sistemas fossem feitos assim, não é?

Texto extraído da especificação do sistema copilot, divulgado no site joel on software

Link permanente 1 Comentário

But you can save me from madness

19/09/05 at 13:34 (Uncategorized)

Nobody knows it but you’ve got a secret smile
And you use it only for me
Nobody knows it but you’ve got a secret smile
And you use it only for me

So use it and prove it
Remove this whirling sadness
I’m losing, I’m bluesing
But you can save me from madness

Nobody knows it but you’ve got a secret smile
And you use it only for me
Nobody knows it but you’ve got a secret smile
And you use it only for me

So save me I’m waiting
I’m needing, hear me pleading
And soothe me, improve me
I’m grieving, I’m barely believing now, now

When you are flying around and around the world
And I’m lying alonely
I know there’s something sacred and free reserved
And received by me only

:**

Link permanente 3 Comentários

Less is more

11/09/05 at 14:19 (Uncategorized)

É impressionante como na maioria das vezes as idéias mais geniais são as mais simples. Eu resolvi testar a API thinlet, pois estava procurando uma solução para os problemas de performance inerentes ao Swing.
A primeira mudança drástica com relação à qualquer outra GUI é a separação entre lógica e apresentação: todos os detalhes de apresentação ficam em um arquivo xml, e somente a lógica do programa fica no código fonte. Dessa forma é possível, por exemplo, mudar completamente o visual e os próprios componentes da GUI sem alterar o código fonte.
Para se ter uma idéia de como é simples, o famoso “Hello World” é composto de dois arquivos: Hello.java e hello.xml. (me desculpem pelas progagandas, mas foi o melhor que consegui sem procurar muito).

Isso produz a janela abaixo:

Veja que todos os componentes da GUI são definidos no xml. Essa API é uma ótima solução para quem precisa de componentes mais complexos que os fornecidos pelo AWT, mas tem problemas de espaço ou performance.

Link permanente 1 Comentário

Um tira da pesada muito louco por acaso

10/09/05 at 1:56 (Uncategorized)

Eu estava com um amigo do trabalho em uma dessas infindáveis conversas sobre as traduções brasileiras. Mas então, ficamos com a seguinte dúvida: daonde diabos esses gênios da língua inglesa descobriram que cop significa tira?
Todos já estamos acostumados com os “títulos” que são usados por aqui, tanto que já até apareceu no escritório um gerador de nomes de filme, simplesmente juntando palavras como “alucinante”, “por acaso”, “da pesada”, e o favorito de todos e praticamente obrigatório: “muito louco”. Mas daonde será que esses gênios da língua inglesa descobriram o tira? E eles não estão sozinhos nisso, porque todos os dicionários dizem que “tira” é gíria para policial ou investigador, até a Wikipedia tem uma entrada dizendo isso, então alguém usou esse termo um dia. Através de uma discussão na comunidade Traduções Tenebrosas do orkut, eu encontrei um link para um glossário policial que desfaz o mistério: “tira” era realmente gíria para policial nos anos 50! Somente um pouco desatualizados, não é? Isso é a maior prova de que traduzir não é só ir no dicionário, você tem que ver se isso é adequado ao período em que se encontra, e não é porque isso fazia sentido no passado, que vai funcionar para sempre.

Link permanente 1 Comentário

No blog is an island

10/09/05 at 0:47 (Uncategorized)

Assim como as pessoas, os blogs também precisam de compania. Assim, daqui por diante, as resenhas sobre filmes, livros e etc aparecerão no ótimo refém do sofá, que a adorável roxy me convidou para participar. Com isso, este espaço talvez fique menos visitado, mas ainda ativo para assuntos non-sofa related.

Link permanente Deixe um comentário