Dead Like Me

15/02/09 at 11:44 (pessoal) (, )

deadlikemeAcabei de assistir o filme do Dead Like Me. Eu assisti muito bem, como um amigo que veio te visitar depois de uns cinco anos de ausência. O enredo é sobre o novo chefe que George e os outros recebem já que Rube teoricamente foi para a luz. Quem gostava da série provavelmente vai gostar do filme, ver os personagens mais velhos, o que eles fizeram da vida. Quem não conhece, acho que talvez não faça muito sentido. Uma ótima coisa para se fazer enquanto esperamos pela próxima criação de Bryan Fuller.

Link permanente Deixe um comentário

DVDs

9/02/09 at 21:52 (pessoal) (, , , , , , )

A pedido da Kika, aqui estão duas fotos dos meus dvds:

imgp0024

Esses aqui estão no meu quarto por absoluta falta de espaço na sala da TV. Assim que saiu aquela caixa do Super-Homem, eu comprei, pq era a única que tinha o Super-Homem 4.

imgp0029

Esses aqui estão na supra-citada sala da TV. Daí, Só não assisti ainda Dead LIke Me, e Castelo Cagliostro. DVDs em japonês da esquerda para a direita: Kiki’s Delivery (rosa), Howl’s Moving Castle (azul), Nausicaa (azul mais claro), Tales of Earthsea(verde), Laputa (amarelo), Princess Mononoke (verde). Comprei todos eles lá em tóquio, já que eram os únicos com legenda em inglês. Viva o estúdio Ghibli!

Link permanente 2 Comentários

Lie To Me

1/02/09 at 1:38 (pessoal) (, )

home_bg

Todo policial tenta criar a sua assinatura, algo que o diferencie dos outros 347 policiais que estão passando na TV. Assim sendo, os produtores de 24 horas e Arrested Development resolveram apostar numa história em que um especialista em linguagem corporal é capaz de dizer se uma pessoa está mentindo ou não, através dos seus trejeitos, ou movimentos do rosto. Esse homem é Cal Leightman, que é contratado pelo FBI para trabalhar em casos que se precisa ter certeza absoluta do que aconteceu.

A série é bem legal, ainda mais com o Tim Roth no papel do homem-polígrafo, e  tem um jogos de câmera interessantes, para mostrar os gestos dos suspeitos que desmentem o que estão tentando vender. Se você gostava de Lei & Ordem Criminal Intent, com certeza vai gostar desse aqui também.

Link permanente Deixe um comentário

Demons

19/01/09 at 15:39 (Uncategorized) (, )

20791 Acabei de assistir o primeiro episódio de Demons, série inglesa que estreou há pouco. Luke descobre que é o descendente de Abrahan Van Helsing, caçador de monstros e criaturas inumanas, e agora cabe a ele continuar a tarefa para que Londres, e o resto do mundo possivelmente, continue segura. Para ajudar na sua tarefa, temos o Experiente Rupert Galvin, e a clarividente Mina Harker, descendente de Jonathan Harker, assistente do original caçador do sobrenatural.

Ok, não é exatamente a história mais criativa que já se ouviu, mas é uma série bem divertida, e o papel de Rupert Galvin, uma espécie de Giles não tão educado, é o Philip Glenister, para quem, como eu estava com um pouco de saudade do Gene Hunt de Life on Mars.

Link permanente Deixe um comentário

Johann Gambolputty de von Ausfern Schplenden SchlitterCrasscrenbon Fried Digger Dingle Dangle Dongle Dungle Burstein von Knacker Thrasher Applebanger Horowitz Ticolensic Granderknotty Spelltinkle Grandlich Grumblemeyer Spelterwasser Kurstlich Himbleeisen Bahnwagen Gutenabend Bitte Ein Nürnburger Bratwustle Gerspurten Mitzweimache Luberhundsfut Gumberaber Shönedanker kalbsfleisch Mittleraucher von Hautkopft of Ulm

20/11/08 at 15:56 (pessoal) (, , )

9022903Agora tenta dizer isso três vezes. Essa é apenas uma das maravilhas do baú de sketches da primeira temporada de Monty Python Flying Circus. O que você está fazendo aí que ainda não assistiu? Ah, eles abriram um canal no YouTube também. Agora não tem mais desculpas.

Link permanente Deixe um comentário

Heroes or Just Plain Stupid?

11/11/08 at 22:25 (pessoal) (, )

Eles conseguiram. Eu parei de assistir no meio da coisa. Esse post tem spoilers sobre a me%$@ do epi S03E08 de Heroes, esteja avisado. Leia o resto deste post »

Link permanente Deixe um comentário

Esse funciona

28/09/08 at 22:08 (pessoal) (, , , )

Há algum tempo estava procurando um jeito de burlar aqueles sites que só permitem você acessar se você estiver dentro dos EUA. Já tinha tentado alguns proxys, mas nenhum funcionava direito. Graças ao lifehacker, achei um programa que funciona: O Hotspot Shield. Ele cria uma VPN (virtual private network) entre o seu pc e o servidor deles, que fica nos EUA. Dessa forma, é possível assistir aos vídeos do hulu.com ou da ABC. Eu testei nos dois sites e funcionou sem problemas. Duas coisas importantes:

  1. o instalador do programa, que chama Hotspot Shiled, tenta instalar um monte de tralha como barra do yahoo e outras besteiras,mas vc pode recusar que ele instala o hotspot sem problemas
  2. Quando vc se conectar, ele vai pedir para você escolher um tópico, e vai ficar te mostrando propagandas daquele tópico, em cima da página, mas uma vez que a página carregou, tem um x, para você fechar o banner.

Link permanente Deixe um comentário

Legado das Estrelas

21/09/08 at 14:04 (pessoal) (, )

Também conhecido por “Como aquela merda de Smallville poderia ter sido uma das melhores séries de super-herói, mas não foi”. A mini-série O legado das estrelas, em inglês Birthright, que diga-se de passagem é título muito mais forte do que a versão traduzida, reconta a origem do Azulão, dando um caráter muito mais humano ao personagem, explicando um pouco porque ele resolveu vestir a cueca por cima da calça, e se transformar no herói com o S no peito.

Com roteiro do fabuloso Mark Waid, e desenhos de Leinil Yu, essa nova origem traz alguns elementos da série para a origem do herói nos quadrinhos, mas apenas as coisas boas. Clark conhece Lex em Smallville, e eles tinham uma certa amizade, considerando que ambos eram párias na cidade. Os pais de Kent são bem parecidos com os do seriado, e tem a mesma faixa etária. Como bonus, temos Lana Lang como a garota fútil que todos nós queríamos matar, mas que é ruiva, ao invés da versão da tv. Claro que isso deve ser uma interpretação minha, além do mais porque ela só aparece umas duas vezes no comecinho da história. Outro ponto muito bom é mostrar um momento das viagens de Clark pelo mundo, antes de decidir vestir a farda de super-herói.

Apesar de concordar completamente com esse artigo que mostra categoricamente como é impossível fazer uma história a longo prazo de alguém super-poderoso com o super-homem, eu acho que Waid e Yu fizeram um trabalho excelente em recontar uma história que todos nós conhecemos e que vale a pena ser lida. Se a série tivesse sido feita nesses moldes, tavez tivéssemos 2 ou 3 (no máximo) temporadas de uma hitória genial, ao invés de oito insuportáveis enrolações de Dawsons Creek com super poderes que é o desperdício de tempo, espaço e dinheiro que chamam de Smallville.

Link permanente 1 Comentário

Eureka

14/09/08 at 18:14 (pessoal) (, , )

Algumas frases geniais que eu ouvi esse domingo, enquanto assistia a segunda temporada de Eureka:

  • Uma bactéria estava transformando todos os metais da cidade em Ouro, e os habitantes mais ambiciosos da cidade não viam um problema nisso, até lembrarem que os fundamentos da cidade são de metal o que faria de Eurka:

Rich and highly unstable, like Paris Hilton

  • Em um outro episódio, a cidade está enfrentando a catástrofe da ocasião, que não é facilitada pela discussão entre Zane e Fargo para ver quem é o melhor hacker, sem falar em quem deveria sair com a adorável Josefine, quando ela solta a seguinte pérola para que eles parem com toda essa coisa de “cospe aqui”:

Boys, there’s plenty of backdoor access for everyone

A série continua bem divertida, apesar de alguns plot holes aqui e ali. Vou começar a assistir o que saiu da 3a. temporada agora.

***

In other news, também aproveitei o fim de semana para terminar de ver The Middle Man, uma ótima adaptação dos quadrinhos que fez sua estréia no mid season dos EUA. Se você acha que o mundo deveria ser invadido por cientistas malucos, zumbis, ou lutadores de luta livre que sabem kung fu, você tem que assistir essa série.

Link permanente Deixe um comentário

Japão

23/08/08 at 10:48 (pessoal) (, , )

Agora são quase 9 da noite e tive minhas primeiras  horas de sono aqui em tóquio mesmo que tenham sido fora de hora, por causa do jet lag mostruoso. Durante o vôo, assisti 4 filmes, o que tem sido a minha quota nas viagens anteriores. Eles foram:

Asterix e Os Jogos Olimpicos

Os filmes do Asterix continuam cada vez melhores. Nessa hsitória, um habitante da vila de gauleses Lovesix, que é a cara do Rodrigo Santoro, se apaixona por uma princesa grega, e para impedir que ela se case com Brutus, filho de Júlio César, o desafia para os jogos Olímpicos: o vencedor se casaria com a princesa. As interações entre Brutus e Cesar são ótimas, e eles realmente conseguiram manter o clima caricaturesco dos quadrinhos. Para ficar perfeito, só faltava a Monica Bellucci de volta ;-)

Ah, eu não vi até o fim porque o avião estava pousando em Zurich.

Be Kind Rewind

Segundo filme da lista é Be Kind Rewind. Um dos raros filmes que é tão bom quanto a hype gerada. Jack Black está no seu papel de sempre, Mos Def é a pessoa sensata do grupo, e a adorável Melanie Diaz dá um ar de Salma Hayek para a personagem. Qualquer pessoa que assistiu ghostbusters quando era criança (ou não tão criança assim) vai adorar esse filme, e estará pronto para fazer suas próprias versões suedadas dos seus filmes favoritos. De quebra você ainda tem Danny Glover e Mia Farrow, e uma daquelas histórias sobre uma lojinha pequena que luta para se manter aberta.

The Bank Job

Meu vício por Jason Stathan definiu o terceiro título: The Bank Job, que saiu esse ano, e aparentemente ainda não chegou no Brasil. Os integrantes do MI6 precisam recuperar uma foto que está guardada num cofre de um banco, mas ao invés de obter um mandado de busca ou coisa assim, eles tem que invadir o cofre sem deixar rastros. Daí eles tem a idéia brilhante de contratar uma gangue de ladrões para assaltar o lugar, usando a Saffron Burrows como testa de ferro. Obviamente as coisas não vão como planejado. Aliás, daria um filme interessante, aonde as coisas de fato acontecem segundo o plano. Enfim, é um filme de ladrão, com os benefícios de sotaque britânico e visual dos anos 70.

88 Minutes

O quarto e último filme também ainda não deve ter estreiado aí: 88 minutes, com Al Pacino. É semre bom ver ele de volta em algum filme, mesmo que a história seja um pouco meia-boca. Assassino em série malvado que apesar de um modus operandi complicadíssimo, envolvendo cordas e polias, um verdadeiro experimento de mecânica clássica, não deixa nenhum rastro. O bandido é preso e julgado, apesar da falta de provas concretas, e graças ao testemunho de Pacino, o bandido vai preso. Nove anos depois, outra garota aparece morta com o mesmo MO, e Pacino começa a receber ameaças de morte, dizendo que ele só tem 88 minutos de vida. Quem será, eu me pergunto? Vocês adivinharam, obviamente, tem alguns twists and turns no meio do caminho. Mas ainda assim, vale a pena, é um policial razoável, se vcs não tiverem nada melhor para fazer.

Ah, eu também vi um episódio do Dr. Who, que foi bem divertido, e dois episódios de Lab Rats que eu trouxe comigo. Assistir vídeos no ipod é ótimo.

ps. Mexer com imagens no WordPress é um cú. Se continuar essa encheção, volto para o Blogger, mesmo que os templates sejam mais chatinhos.

Leia o resto deste post »

Link permanente Deixe um comentário

Next page »